Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
postado por Hellz. em 21 março 2017

Cortesias do Skoob: O lance é de verdade?


Desde que eu descobri a rede social literária Skoob, eu sempre notei logo na página inicial algo que falava em "Cortesias". Na época, muito tapada, nem fui atrás saber do que se tratava. Entretanto, quando o vício de ler aumenta e os dinheiros acabam (situação a qual me encontro até hoje), eu sai correndo atrás de todas as possibilidades de ganhar livros SIM porque sou uma pobre blogayra com vícios caros HAHAHA (ler 8 livros por mês acaba sendo caro, gemt).

E, assim forçadamente, eu deixei a preguiça de lado e passei a ser concorrente assídua dos livros ofertados pelo Skoob desde 2015. Só que... por mais que eu participasse de 200 sorteios diferentes por semana, eu não ganhava nada. Nadinha. Desconfiei logo que fosse balela. Que fosse uma conspiração genial das editoras junto com a plataforma pra que nós, pobres mortais, nos interessássemos pelos livrinhos a ponto de não conseguir viver sem eles e que a corrida pra livraria seria certa, julguei até que fosse fake. ENFIM... bolei muitas teorias até que, geminiana curiosa como sou, decidi cair nesse mundão que o Google nos oferta e investigar a fundo este negócio u.u HAHAHA Afinal, estamos fazendo jornalismo também pra isso, lógico :B

Cheguei a assistir alguns vídeos no Youtube em que criaturas diziam que SIM, já haviam recebido os prêmios vindos do Skoob e tudo mais. Passei a acreditar um pouquinho, mas permanecia com o pé atrás. Até que...

A SORTE ME MANDOU UM SINAL! *-*
Enquanto rolava a Bienal do Livro em São Paulo no ano passado, o Skoob junto com as editoras resolveu fazer uma SUPER promo em que cada usuário sorteado ganhava DOIS livros diferentes. E ADIVINHA QUEM VIU O NOME LÁ NA PARADA? EUZINHA! HAHAHAHA (lógico que eu só descobri que tinha ganhado alguma coisaporque a Bistequinha, muito eficiente, me avisou. Aliás... brigads, Bistequinha *-*). 

Foi assim que eu pude ostentar na minha estante o título de livro que mais identifica a Hellz nesse mundo inteiro (Confissões de uma garota excluída, mal-amada e um pouco dramática da Thalita Rebouças, cortesia da Arqueiro) e um segundo título que, embora eu não conhecesse antes de ganhá-lo, também muito me representa (Uma loucura discreta da Mindy McGinnis, cortesia da Plataforma21). 

Logo digo que: CONFIA, MIGS. O SKOOB É AMIGO CAMARADA DE PALAVRA! As cortesias chegam lindas, embaladas e cheirosas na nossa casinha, sem absolutamente nenhum custo. Só amor, só amor... <3

Se você ainda não tem perfil lá e não participa dos sorteios: Tá esperando o que mesmo, seu vacilão? u.u HAHAHAH


Quero conhecer mais vencedores das cortesias do Skoob pra nos unirmos em Sindicato! HAHAHAH Alguém também já teve essa sorte? *-*


postado por Hellz. em 15 março 2017

Wishlist das 7 necessidades atuais da Hellz

Se tem uma coisa que a gente pode dizer sobre esse ano de 2017 é: Não está sendo fácil HAHAHAHA :( Se 2016 já foi uma montanha-russa (que só ia pra baixo, diga-se de passagem) no que diz respeito as nossas queridas finanças, o que falar sobre esse ano novo que mal começou e já ferrou meu bolso pakas? :B

E é aquela coisa, né: Quando uma coisa quebra, se prepara porque desgraça só vem de muita, cara HAHAHAH. E então uma sucessão de coisas pifam em consideração as anteriores e quando você vê, puft! Já precisa comprar tudo de novo. O problema é que a grana não decidiu cair do céu, os aviõezinhos de nota de 50 do Tio Silvio Santos ainda não chegaram na minha casa e muito menos os empregos maravilhosos que eu costumava sonhar que teria a esta altura da vida, que garantiriam os meus bons drink sem ninguém encher o saco, estão por aqui.

Além de chorar, o que podemos fazer, afinal? CONTINUAR SONHANDO, MIGS. Exatamente! E pra isso servem as tais Wishlists! Pra você ficar babando nos sites de venda com o dia em que você terá juntado toda aquela graninha necessária pra sair comprando tudo e recebendo muitas caixinhas dos Correios (que atualmente estão mais caras do que barras de ouro HAHAHAH). 

Vem comigo conferir esses 7 itens que eu tô me roendo pra adquirir e sair ostentando por aí! (só que não HAHAHA).




ALÔ ALÔ, PATROCINADORES! TÁ TUDO ISSO EM FALTA! AJUDEM UMA BLOGUEIRA ESTUDANTE E RECLAMONA <3 HAHAHAHA


postado por Hellz. em 10 março 2017

o filme argentino que me inspirou a criar o Being Hellz


Vocês, bichinhos do cinema igual a mim, devem ter visto que saiu mais um filme por aí MADE IN BR com a Ingrid Guimarães (e, inclusive, o último filme a ser lançado com o Domingos Montagner - morto no ano passado), a comédia “Um namorado para minha mulher”. Ok, tudo bem. A questão é que eu detestei esse filme. HAHAHAHAH Antes que pensem que a crítica é gratuita porque a Hellz ama falar mal das coisa, saibam que tenho os meus motivos, afinal... até pra se falar mal você precisa de argumentos, certo? E EU TENHO MUITOS PORQUE EU SOU GEMINIANA E LOKA! HAHAHAHAHHA Enfim...

 Acontece que o tal filme com a Ingrid Guimarães nada mais é do que um remake de outro filme lançado em 2011, um produzido na argentina e que tem o título de “Um namorado para minha esposa”. Embora a essência da versão original e da brazuca serem basicamente as mesmas (tirando as atuações que eu não concordo muito criativamente na versão BR) e alguns aspectos modificados na versão mais recente pra se dar um desnecessário ar modernoso, as obras estão aí. E, desde 2013, quando eu vi pela primeira vez o filme MADE IN ARG, ele entrou no meu hall de preferidos, queridxs. SIM, e eu consegui me ver tão identificada que esse foi o estalo que eu precisava pra então tomar o empurrão que tava faltando pra sair do armário do marasmo e jogar minha poker face na blogosfera. Porque? Bom...

Basicamente, vamo numa sinopse legalzona da Hellz:

Ambas as versões trazem, como eu disse, mais ou menos a mesma coisa: Um casal que tá junto há muitos anos e um marido meio banana que passa a achar a esposa insuportável por ela não fazer mais nada da vida exceto reclamar todo tempo, toda hora, sobre tudo e qualquer coisa. Foi quando o ~gênio~ teve a ideia de contratar um cara pra seduzi-la, fazer com que ela se apaixone pelo sujeito e decida por si mesma dar um fim no casamento mei bosta deles. E, pra isso, o cara arruma um emprego pra mulher (onde ele mesmo paga o salário dela HAHAHAH) pra poder conduzir os paranauê todo da conquista. Enfim...

No original argentino, o emprego em questão é o de apresentadora fixa de um programa de rádio. O locutor – amigo do marido – sem saber muito bem o que fazer com aquela mulher histérica, descobre que ela tem uma qualidade super vendável: A reclamação constante. Tendo um episódio por dia com um tema específico, a mulher passa o programa inteiro falando tudo que ela ODEIA, de maneira engraçada e sarcástica, virando famosona e tornando os ouvintes fãs do tal quadro, quase que como um viral no país.


E, enfim chegando ao ponto em que eu paro de arrodear e revelo a resposta à problemática do post, digo foi inspirada neste filme amorzinho que eu vim a decidir pôr pra frente o Being Hellz: Eu queria fazer um blog pra falar mal de tudo que eu detestava, ou seja... muita coisa HAHAHAHA. Mas acabou que os ventos me conduziram pra outro lado....

Ser crítico é legal, usar o sarcasmo e ironia de forma eloquente e inteligente também é legal. Mas viver disso num dá, mores. Ok, eu ainda sou sim meio ranzinza e dou muitas alfinetadas no que me desagrada,  mas eu meio que consegui atingir um equilíbrio entre o amor e ódio.  Afinal, é necessário ter o amor pra que a gente não vire um cubo de gelo ambulante. MAS QUE NOIS ADORA FALAR MAL, NOIS ADORA <3 Só que o coração de mocinha do amor também existe, então porque não dosar aí esse negócio, né? :B

Talvez o pontapé tenha dado certo, afinal, foi a sinceridade que me trouxe até aqui (e provavelmente, se você já é leitor antigo, deve continuar por aqui pelo mesmo motivo). Então... algo certo eu devo estar fazendo, acho HAHAHAH.

VOCÊ JÁ VIU A VERSÃO BR OU A VERSÃO ARG DESSE FILME? QUERO SABER!




postado por Hellz. em 03 março 2017

Bookaholic: Pedro Guerra em "Queda Livre"

Quando, ainda no ano passado, eu consegui o meu primeiro Oscar.... digo, minha primeira parceria EVER com a linda e maravilhosa Editora Belas Letras (TINHAMO, TINHAMO, TINHAMO <3), uma pessoa era responsável por lidar com a gente, os parceiros recém-chegados (e os veteranos também). Logo na primeira semana, um e-mail de boas vindas chegou repleto de memes clássicos que fizeram o lado do meu coração que bate pela zuera quicar de alegria HAHAHAH. "MAS QUEM SERIA ESSA PESSOA TÃO AMORZINHO QUE TÁ NOS ABRINDO AS PORTAS DA CASA?", eu pensei. E logo eu descobri que se tratava de um gaúcho chamado Pedro Guerra, que além de trabalhar no marketing da casa, também era autor.

MAZÉCLARO que imediatamente surgiu a curiosidade de ter acesso a uma das obras dele. Se eu me sentia miga do Pedro só por trocar e-mails sobre a parceria/editora, magina lendo algo que ele escreveu? POIS É! Mas acredita que os livros do Pedro nunca tavam disponíveis pra solicitação? Só consegui pensar, na época, que a saída devia ser tão GIGANTE que eles nunca duram com impressões dos livros do Pedro em estoque. Depois da leitura de "Queda Livre" eu tive plena certeza disso <3

COMO SE DEU A QUEDA...

O livro, que faz parte do selo Quadrilho Editorial (focado em livros de autores gaúchos. Apoio a autores nacionais é só amor, nhu <3) é a continuação do livro "A rainha está morta", lógico que também do Pedro. Como eu sempre sou uma pessoa super ligada nas coisas da vida, acabei solicitando o segundo livro achando se tratar de obra independente ._. HAHAHAH Enfim... Mas isso não impediu que eu aproveitasse a leitura e entendesse tudo do começo ao fim (muito bom isso, afinal, eu detesto ler livro de séries começando pelo meio e boiando total nas coisa HAHAHAH u.u).

Trazendo o personagem carismático Benjamin Lisboa, detetive que aparece também no primeiro livro, a trama se desenvolve a partir do próprio detetive testemunhando, por estar no lugar errado na hora errada, um corpo em queda livre da sacada do 15º andar do prédio mais alto da cidade. A vítima era uma famosa cantora. Mas...

Assassinato? Suicídio? Acidente? Eis algumas das zilhões de perguntas que rondam as pouco mais de cem páginas em que essa história é contada. Se mesclando muito ao estilo de suspense policial de Agatha Christie e James Patterson, mas com estilo de escrita totalmente inovadora e única do Pedro Guerra, a sagacidade do Benjamin faz com que as páginas virem sozinhas e você também se sinta investigando o caso.

Infelizmente esse ano o Pedro não tá mais lá pela editora e não vai mais ter tanto contato com os parceiros, mas eu vou aproveitar todas as oportunidades que tiver pra degustar essa escrita  MA RA VI LHO SA  que ele tem!

E TU? LERIA O "QUEDA LIVRE"?


postado por Hellz. em 23 fevereiro 2017

Fantasias inusitadas de Carnaval


Sim, eu sou a pessoa menos carnavalesca que você vai encontrar (aliás... no carnaval, se há uma coisa certa, é de que você NÃO VAI me encontrar MESMO HAHAHA). Muito embora durante a infância eu fosse figurinha carimbada nos blocos maravilhosos da escolinha (inclusive, acompanhando a temática da época que fosse mais atual relacionado ao cd do É o Tchan - no Hawai, na selva, no funk e lá vai o trem...), eu cresci e me tornei daquelas que passariam esses lindos quatro dias de feriado lá no Alasca, onde ninguém nem soubesse da existência desta comemoração tão malemolente que a maioria dos brasileiros gostam.

Já que Hellz quer sempre ajudar vocês a se destacaram dentre os mais diversos aspectos, trouxe aqui uma lista diferentona de fantasias para você se inspirar e virar a estrela do bloco que tu escolheu participar e soltar confetes. Afinal, se não for pra causar nois nem vai, tá ligado? HAHAHAHA

1 - MURO DO TRUMP

Se você é daqueles que gosta de pagar mico em conjunto e, lógico, busca sempre estar antenado aos acontecimentos cotidianos, eis a fantasia ideal pra você! Pegando carona na história do muro que o atual presidente americano alaranjado prometeu fazer na fronteira entre os EUA e México, você pode sair por aí diferentão e ainda pagar de crítico social, qtal?


2 - GRÁVIDA DE TAUBATÉ

Se surgiu aquela festinha de última hora, a opção da falsa grávida mais famosa desse BR é batata! Só pegar um vestido estampadão e enorme de malha com a sua vó ou tia que tem uns kg a mais que você e ser criativo na hora de montar a barriga. Desculpa, eu não consigo te orientar sobre como fazer esse "enchimento tão perfeito" que fez até o Edu Guedes se emocionar ao vivo. Mas confio em você e sei que tu vai saber se criativo nesse momento! HAHAHAHAH

3 - DINHEIRO

Você pode também ir fantasiado de dinheiro, afinal, o artefato anda tão escasso que parece mais uma figura mitológica a ser homenageada do que moeda de troca oficial na sociedade.

4 - (fora) TEMER

Você pode, simplesmente, colocar só uma máscara com a bela face do nosso KIRIDO presidente Michel Temer. Garanto que a palhaçada é garantida.

5 - HOMENAGEANDO A HELLZ

Sempre há a opção, também, de homenagear essa pessoa desvairada que vocês bravamente acompanham. QUEM TIVER A MELHOR FANTASIA DE HELLZ (afinal, eu sou o Batman u.u) vai dar uma voltinha super legal no meu Batmóvel, ui HAHAHAHA


COMO VOCÊS VÃO PASSAR O CARNAVAL, HEIN? QUERO SABER TUDOOOON!





postado por Hellz. em 11 fevereiro 2017

Precisa-se de amiga solteira


Eu, pessoa chata e estranha que tenta reger esse humilde blog como pode, sou uma pessoa extremamente seletiva: Nunca fui de ter uma multidão de amigos (não que eu não os quisesse. As pessoas sempre tiveram uma tendência a ter medo de mim, enfim... HAHAHAH). No mais... Eu sempre tive algumas pessoas por perto, geralmente as mesmas que me acompanham há anos, e realmente o meu coraçãozinho consegue ser leal e sentir amor por cada uma delas. Entretanto, algumas coisas - não sei exatamente de onde vem o problema - tem me deixado um pouco bolada.

Como vocês tão cansados de saber (já que eu digo todo tempo), faz algum tempo que eu parei nos 17 anos e não pretendo sair nem tão cedo de lá. Apesar dos ~biologicamente~ 20 e poucos, eu vivo uma adolescência tardia infinita que me impede de acompanhar alguns processos comuns e padrõezinhos à idade adulta. 

Enquanto todas as meninas cansam dos tênis, eu compro mais. Depois que passa dos 18, a maioria das criaturas tende a deixar certos hábitos pra trás (eu não entendo como conseguem, mas ok). Os filmes vão ficando mais sérios, as roupas, os programas, as escolhas. Geral da minha idade quer sossegar, dividir uma casa com o mozão, sair pra jantares românticos e planejar o nome dos filhos. Mas, quanto a Hellz aqui, eu ainda quero balada, muita vodka, passar horrores vergonha, ligar pra amiga de madrugada pra contar dos progressos com a crush igual uma teen de 13 anos, fugir de casa, ir a shows dos artistas preferidos e dormir com o Fofo todas as noites (conheçam o Fofo abaixo, bjs).

Fofo

Não é que eu queira obrigar as minhas amigas a terem as mesmas escolhas que as minhas. Se elas querem casar e eu não, it's totally fine. Mas parece que, quanto mais essa vida adulta chega, mais desnecessária eu vou me tornando, mais pra trás eu vou ficando.

Sinto falta de ver uma saída interessante lá na puta que pariu, ligar pra alguém "EI, vamo naquela festa lá?" e prontamente ouvir um SIM. E aproveitar bastante como duas garotas sabem e podem fazer, sem que a situação se torne chata pra caralho com o pano de fundo casal apaixonado x Hellz segurando vela. Afinal, casal apaixonado não vai dublar a GaGa com você, bater cabelo e dançar a noite inteira, certo?

Você pode me dizer: "AI HELLZ, DEIXA DE SER RECALCADA, MOLIER...". E olha, de coração, não é recalque. Se tem alguém que quer que tudo na vida de todo mundo desse mundo (? seja amor, essa pessoa sou eu. E, também, se tem alguém muito conformada em ser a Tia Doida dos Gatos (rumo que as coisas vem tomando por eu ser azarada plus encalhada) essa pessoa também sou eu. Se rolasse de eu ter mozão, lógico que eu ia curtir, né. Mas é aquela coisa: Há tempo pras migas, há tempo pros crushs.

E eu só queria uma amiga que me abraçasse a tarde inteira enquanto eu tô bad vibes (de preferência, sem o boy junto).


Interessados, envie seu curriculum pra Hellz aqui.



postado por Hellz. em 05 fevereiro 2017

Sobre uma das duas únicas coisas que me comovem: GaGa no Superbowl 2017

Há um mês atrás eu fui pra festa de noivado de uma amiga de infância. Enquanto os noivos trocavam textos de amor romanticamente explícitos pra uma plateia seleta de amigos/familiares/pessoasquetemosdeconvidarporobrigação, 99% deles se emocionavam, cediam lencinhos ao companheiro mais necessitado, tentavam não borrar a maquiagem pra se manterem bonitos nas fotos que viriam mais tarde (isto inclui, inclusive, a minha prima que foi de penetra e tinha conhecido o casal há apenas uma hora HAHAHAHAH). O outro 1% restante foi todinho meu: Eu não derramei uma lágrima. Eu não segurei, elas apenas não vieram ._.

Minha prima (que muito parece a Duny - JURO), soltou logo: MA QUE MENINA INSENSÍVEL, FRIA, SEM CORAÇÃO. TU NÃO SE COMOVE COM NADA NÃO?". Ok, essa me foi uma boa pergunta. A engrenagem do cérebro começou a trabalhar. Afinal... eu sou mesmo uma insensível coração de gelo do caralho ou alguma coisa me comove? Depois de quase pegar fogo na estrutura que mantém o cérebro em funcionamento de tanto forçá-lo, eu atingi ENFIM uma resposta: Sim, duas coisas me comovem.

A primeira e mais antiga coisa que me comove...
...são gatos, nhu <3 (ok, bichinhos em geral u.u)

E a segunda coisa que me comove é...
...this american crazy bitch.

Desde 2008, quando eu descobri "Just Dance" numa comunidade do Orkut (velha sim Q) de compartilhamento de música, o amor foi instantâneo. Me apaixonei por aquela pequena criatura psicodélica de 1,55 de altura, bizarra e destemida como nenhuma outra. E o amor só fez aumentar quando ela foi mostrando a mim, e a todo mundo que a assistia, o tamanho imenso do seu coração e do seu girl power.

A história da GaGa me remete muito a mim mesma e a muitos outros estranhos que não tinham lugar a pertencer. Ela criou uma casa pra que todos nós nos estabelecêssemos e fossemos valorizados como pessoas pensantes e sentimentais que somos e, acima de tudo, especiais principalmente por sermos quem somos, independente de quaisquer rótulos ou julgamentos. Ela nos deu teto, embora ainda sejamos estranhos. A diferença é que, graças a ela, ser diferente ganhou um signo totalmente diferente do anterior, que era uncool, outsider, pouco importante. Hoje os freaks podem brilhar!

Durante a noite de hoje, aquela garota de Nova Iorque que ouviu que nunca poderia ser a estrela, foi a peça central do Halftime Show do Superbowl (maior campeonato de futebol americano profissional EVER). Surgiu em cima do estádio com o céu ao fundo iluminado por 3424543454329 drones, cantando ao vivo divinamente como sempre prometeu que o faria e fez a sua entrada do melhor jeito que uma rainha tão diferentona deve e merece: Voando! 

Foram só 13 minutos, mas assim como aconteceu no Oscar, no VMA, no Grammy, no Globo de Ouro, no Superbowl do ano passado e durante tantas outras premiações: Eu chorei. Eu sempre choro, gemt HAHAHAH D: 

Mas eu não choro de tristeza. Eu sinto um orgulho, amor, identificação e emoções tão fortes e que vem láááá do fundão do meu coração ranzinza e cheio de band-aid, que me é inevitável não arrepiar até o último fio de cabelo e transbordar em lágrimas. É saber que eu também posso chegar onde eu quiser um dia. É acompanhar a oito anos o crescimento através do esforço e talento de alguém e ser testemunha ocular da colheita dos trunfos da vitória. É ver a Gaga, a maior estranha que você respeita, ser aclamada pela crítica e, ainda por cima, dar tapas com as luvas do Michael Jackson (que ela arrematou no leilão HAHAHA) em quem disse que seria impossível chegar lá. Uma pessoa mundialmente famosa, ok, mas de carne e osso igualzinha a mim e a você, que passou por decepções, bullying, traição, pés na bunda e toda uma rota cheia de pedrinhas (chatas e pequenininhas que machucam os pés pra cacete) atingir o pote de ouro no fim do arcoiris. 

YOU GO, GIRL! Você me fez mais forte e me mostrou que eu sou bonita do meu jeito, que todos somos perfeitos. 

E que enfim temos um lugar a pertencer nesse mundo.