Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
postado por Hellz. em 11 fevereiro 2017

Precisa-se de amiga solteira


Eu, pessoa chata e estranha que tenta reger esse humilde blog como pode, sou uma pessoa extremamente seletiva: Nunca fui de ter uma multidão de amigos (não que eu não os quisesse. As pessoas sempre tiveram uma tendência a ter medo de mim, enfim... HAHAHAH). No mais... Eu sempre tive algumas pessoas por perto, geralmente as mesmas que me acompanham há anos, e realmente o meu coraçãozinho consegue ser leal e sentir amor por cada uma delas. Entretanto, algumas coisas - não sei exatamente de onde vem o problema - tem me deixado um pouco bolada.

Como vocês tão cansados de saber (já que eu digo todo tempo), faz algum tempo que eu parei nos 17 anos e não pretendo sair nem tão cedo de lá. Apesar dos ~biologicamente~ 20 e poucos, eu vivo uma adolescência tardia infinita que me impede de acompanhar alguns processos comuns e padrõezinhos à idade adulta. 

Enquanto todas as meninas cansam dos tênis, eu compro mais. Depois que passa dos 18, a maioria das criaturas tende a deixar certos hábitos pra trás (eu não entendo como conseguem, mas ok). Os filmes vão ficando mais sérios, as roupas, os programas, as escolhas. Geral da minha idade quer sossegar, dividir uma casa com o mozão, sair pra jantares românticos e planejar o nome dos filhos. Mas, quanto a Hellz aqui, eu ainda quero balada, muita vodka, passar horrores vergonha, ligar pra amiga de madrugada pra contar dos progressos com a crush igual uma teen de 13 anos, fugir de casa, ir a shows dos artistas preferidos e dormir com o Fofo todas as noites (conheçam o Fofo abaixo, bjs).

Fofo

Não é que eu queira obrigar as minhas amigas a terem as mesmas escolhas que as minhas. Se elas querem casar e eu não, it's totally fine. Mas parece que, quanto mais essa vida adulta chega, mais desnecessária eu vou me tornando, mais pra trás eu vou ficando.

Sinto falta de ver uma saída interessante lá na puta que pariu, ligar pra alguém "EI, vamo naquela festa lá?" e prontamente ouvir um SIM. E aproveitar bastante como duas garotas sabem e podem fazer, sem que a situação se torne chata pra caralho com o pano de fundo casal apaixonado x Hellz segurando vela. Afinal, casal apaixonado não vai dublar a GaGa com você, bater cabelo e dançar a noite inteira, certo?

Você pode me dizer: "AI HELLZ, DEIXA DE SER RECALCADA, MOLIER...". E olha, de coração, não é recalque. Se tem alguém que quer que tudo na vida de todo mundo desse mundo (? seja amor, essa pessoa sou eu. E, também, se tem alguém muito conformada em ser a Tia Doida dos Gatos (rumo que as coisas vem tomando por eu ser azarada plus encalhada) essa pessoa também sou eu. Se rolasse de eu ter mozão, lógico que eu ia curtir, né. Mas é aquela coisa: Há tempo pras migas, há tempo pros crushs.

E eu só queria uma amiga que me abraçasse a tarde inteira enquanto eu tô bad vibes (de preferência, sem o boy junto).


Interessados, envie seu curriculum pra Hellz aqui.



postado por Hellz. em 05 fevereiro 2017

Sobre uma das duas únicas coisas que me comovem: GaGa no Superbowl 2017

Há um mês atrás eu fui pra festa de noivado de uma amiga de infância. Enquanto os noivos trocavam textos de amor romanticamente explícitos pra uma plateia seleta de amigos/familiares/pessoasquetemosdeconvidarporobrigação, 99% deles se emocionavam, cediam lencinhos ao companheiro mais necessitado, tentavam não borrar a maquiagem pra se manterem bonitos nas fotos que viriam mais tarde (isto inclui, inclusive, a minha prima que foi de penetra e tinha conhecido o casal há apenas uma hora HAHAHAHAH). O outro 1% restante foi todinho meu: Eu não derramei uma lágrima. Eu não segurei, elas apenas não vieram ._.

Minha prima (que muito parece a Duny - JURO), soltou logo: MA QUE MENINA INSENSÍVEL, FRIA, SEM CORAÇÃO. TU NÃO SE COMOVE COM NADA NÃO?". Ok, essa me foi uma boa pergunta. A engrenagem do cérebro começou a trabalhar. Afinal... eu sou mesmo uma insensível coração de gelo do caralho ou alguma coisa me comove? Depois de quase pegar fogo na estrutura que mantém o cérebro em funcionamento de tanto forçá-lo, eu atingi ENFIM uma resposta: Sim, duas coisas me comovem.

A primeira e mais antiga coisa que me comove...
...são gatos, nhu <3 (ok, bichinhos em geral u.u)

E a segunda coisa que me comove é...
...this american crazy bitch.

Desde 2008, quando eu descobri "Just Dance" numa comunidade do Orkut (velha sim Q) de compartilhamento de música, o amor foi instantâneo. Me apaixonei por aquela pequena criatura psicodélica de 1,55 de altura, bizarra e destemida como nenhuma outra. E o amor só fez aumentar quando ela foi mostrando a mim, e a todo mundo que a assistia, o tamanho imenso do seu coração e do seu girl power.

A história da GaGa me remete muito a mim mesma e a muitos outros estranhos que não tinham lugar a pertencer. Ela criou uma casa pra que todos nós nos estabelecêssemos e fossemos valorizados como pessoas pensantes e sentimentais que somos e, acima de tudo, especiais principalmente por sermos quem somos, independente de quaisquer rótulos ou julgamentos. Ela nos deu teto, embora ainda sejamos estranhos. A diferença é que, graças a ela, ser diferente ganhou um signo totalmente diferente do anterior, que era uncool, outsider, pouco importante. Hoje os freaks podem brilhar!

Durante a noite de hoje, aquela garota de Nova Iorque que ouviu que nunca poderia ser a estrela, foi a peça central do Halftime Show do Superbowl (maior campeonato de futebol americano profissional EVER). Surgiu em cima do estádio com o céu ao fundo iluminado por 3424543454329 drones, cantando ao vivo divinamente como sempre prometeu que o faria e fez a sua entrada do melhor jeito que uma rainha tão diferentona deve e merece: Voando! 

Foram só 13 minutos, mas assim como aconteceu no Oscar, no VMA, no Grammy, no Globo de Ouro, no Superbowl do ano passado e durante tantas outras premiações: Eu chorei. Eu sempre choro, gemt HAHAHAH D: 

Mas eu não choro de tristeza. Eu sinto um orgulho, amor, identificação e emoções tão fortes e que vem láááá do fundão do meu coração ranzinza e cheio de band-aid, que me é inevitável não arrepiar até o último fio de cabelo e transbordar em lágrimas. É saber que eu também posso chegar onde eu quiser um dia. É acompanhar a oito anos o crescimento através do esforço e talento de alguém e ser testemunha ocular da colheita dos trunfos da vitória. É ver a Gaga, a maior estranha que você respeita, ser aclamada pela crítica e, ainda por cima, dar tapas com as luvas do Michael Jackson (que ela arrematou no leilão HAHAHA) em quem disse que seria impossível chegar lá. Uma pessoa mundialmente famosa, ok, mas de carne e osso igualzinha a mim e a você, que passou por decepções, bullying, traição, pés na bunda e toda uma rota cheia de pedrinhas (chatas e pequenininhas que machucam os pés pra cacete) atingir o pote de ouro no fim do arcoiris. 

YOU GO, GIRL! Você me fez mais forte e me mostrou que eu sou bonita do meu jeito, que todos somos perfeitos. 

E que enfim temos um lugar a pertencer nesse mundo.






postado por Hellz. em 31 janeiro 2017

DIY para desastrados: Interruptor de gatinho

Quando eu digo que o livro Dica da Ka realmente me abriu portas no mundo DIY (Do It Yourself = Faça você mesmo) eu NÃO ESTOU BRINCANDO, meu Brasél. E o mais legal ainda é que eu estou provando a mim (e a todos vocês, migs) de que um desastrado pode sim se jogar nessas artes manuais sem fazer tããão feio assim, vai (se você for de humanas, o sucesso é certo. Mas se for de exatas, vem também que dá! HAHAH).

Muito embora a reforma de decor do quarto esteja mais lenta do que eu pensava (a vida anda meio loka), algumas coisinhas estão sim saindo e eu vou tentar ensinar a vocês tudo que rolar. Lembrando sempre que lidem comigo com muito amor nesse momento, afinal eu nunca consigo acertar proporções e tudo sai mais "original" do que eu pretendia HAHAHAHA, mas juro que as intenções são boas :B

Antes o interruptor do meu quarto era tipo assim:
(Palmas para mim que esqueci de tirar foto do antes, hehe ._. NÃO DESISTAM DE MIM!)

E pra deixar o seu interruptor legalzão e digno de uma catlover igual o meu, você vai precisar de:
  • Fita adesiva decorada (ou da cor, do jeito, da forma que você quiser);
  • Um molde impresso de gatinho (calma que mostro já!);
  • Tesoura;
  • Papel contact preto (ou da cor que tu quiser o gato, afinal ele é seu :B);
  • Amor, paciência e fé em conseguir HAHAHAH.

COMOFAS?
1- O primeiro desafio desse DIY é tacar a fita adesiva até cobrir o interruptor inteiro. Lógico, tomando cuidado com o botãozinho de liga/desliga, né? u.u

2- Olha aí o molde de gatinho que eu falei (joga "interruptor gato" no googlee irão aparecer opções)! Como vocês podem perceber no meu resultado final, eu fiz algumas modificações em relação à posição do bicho, mas acho que o molde é meio que necessário pra não se perder na confecção do negócio :B Então o segundo passo é cortar o gatinho!

3- Eu que fiz as patinhas de forma avulsa e alonguei um pouco o rabo, mas oks :B

4- Pega o molde e posiciona na parte de dentro do papel colante, migs. Cobre togo o gatinho e se prepara pra recortar logo em seguida!

5- Depois é só posicionar direitinho no interruptor e aplicar, fazendo com que dê a impressão de que o gatinho tá pendurado. Deixei as patinhas em relevo, por cima ao invés de colado direto na parede. 

VIU QUE FÁCIL E LINDS? *-*
QUERO JÁ VER AS VERSÕES DE VOCÊS!


postado por Hellz. em 27 janeiro 2017

Não existe photoshop pra caráter


Uma foto bonitona, toda enquadrada, com a iluminação perfeitamente posicionada. Você vai conferir o resultado e aquele raio de espinha enorme na ponta do nariz saiu em total evidência e comprometeu todo o esforço. Mas de boas... Existe a maravilhosa ferramenta do Photoshop. Um zoom aqui, carimbo ali, ajeitadinha aculá e ninguém jamais vai saber que ali outrora houvera algo fora da dita normalidade estética por ali, né mesmo?

Na realidade altamente contemplativa ao visual que enfrenta-se, toda deformidade pode ser maquiada, camuflada, aliviada quando se está à distância. Só que aí vem um porém: Pro caráter não tem photoshop. Você pode, claro, esconder a cicatriz que incomoda, mas não pode apagar como ela foi feita, saca?

O caráter é cru, intrínseco a você, totalmente intransferível. Não tem carimbadinha tecnológica que possa te tornar algo que você não é. Sua essência, valores, virtudes são a evidência na vida real, nem um cm a mais, nem um kg a menos. Você sendo visto em 360 graus não dá margem pra falsidade (e olha... não dá mesmo, porque ninguém suporta o peso das máscaras por muito tempo) ou pra fingir algo além da sua real personalidade, desculpa aí te dizer.

Saia sim bonitão nas fotos. Mas não esqueça de alimentar o seu interior: Você vai ficar mais bonits ainda!







postado por Hellz. em 22 janeiro 2017

3totryon: Reality shows de culinária viciantes igual carboidrato


Houve um período durante o ano passado que, se não houvesse comida à vista, eu certamente sairia roendo as paredes lindamente. Eu, embora gorda conformada e adepta de gordices 4ever, desconfio este fenômeno ter ocorrido devido ao efeito de um medicamento. Já a minha mãe, sempre muito sábia e sagaz, tomou outro rumo sobre esta questão: "PASSANDO A MADRUGADA INTEIRA ASSISTINDO PROGRAMA DE COMIDA, COMO NÃO VAI TE DAR FOME, MENINAAAAAA?". Pensando bem, fazia  sim sentido :B HAHAHAH

Era olhar a programação da TV e me preparar pra todo um tour gastronômico durante a noite. O estômago do gordo num guenta mermo, Brasél. Se sei porque viciei nesse nicho de programa? Nop. Só sei que faço parte de um exército de 34565432345 pessoas que entraram na mesma onda durante os últimos anos. Se é seu caso, vem conhecer os três que a Hellz vai te indicar hoje, gats:


1 - A GUERRA DOS CUPCAKES
Como o nome já sugere, essa é uma competição de... TCHARÃM... Cupcakes! HAHAHAH Três cozinheiros especialistas nos bolinhos são desafiados a cria-los com temas específicos - geralmente baseados em algum evento que tá acontecendo pelos EUA na época. Apesar de alguns participantes arrasarem na decor dos cupcakes, alguns parecem estar aprendendo os paranauê ainda no programa '-' HAHAHAH Rola uns sabores bem estranhos também (tipo bacon, queijo, peixe...), mas tudo é questão cultural, fazer o que? Ao fim, o melhor dos três tem a oportunidade de expor seu trabalho no evento que originou o tema do episódio e ainda leva uma graninha legal pra casa.



2 - DESAFIO CULINÁRIO
Já imaginou você, humilde cozinheiro da sua própria casa - onde as vezes as coisas saem muito boas e as vezes você quase põe fogo nas panelas - fosse pra um programa de tv cozinhar contra um chef profissional? SIM, É TRETA! No Desafio Culinário o participante, que escolhe os pratos a fazer durante o episódio, duela com um chef de cozinha fodão que tenta fazer a receita melhor do que você. Ao fim, os pratos são julgados por pessoas que amam comer mas não tem nenhum conhecimento técnico (tipo eu) e, olhaaaa... nem sempre o chef vence, hein?



3 - MASTERCHEF BRASIL
Olha o programa que para geral no twitter, galereeee! Porque nois vicia? A gente não sabe, mas as poker faces dos jurados, a simpatia da apresentadora e o comportamento por vezes numseiquetacontecenu dos participantes levam essa competição diretinho pro coração. A gente faz torcidinha, dá conselhos aos participantes preferidos (da sala de casa mesmo HAHAHAH) e talvez não comeria metade dos pratos que eles fazem, mas a gente ama sim, ama muito <3



Eu sei que você tem o seu programa culinário preferido. Me indica mais alguns? *-*


postado por Hellz. em 18 janeiro 2017

Parceria do amor pra 2017: Escritora Clara Savelli

OLAR VOCÊ!

Se tem uma coisa ~além de comidinhas gostosas~ que deixa a Hellz SUPER SUPER SUPER feliz (e malemolente ao ponto de quase descer na boquinha da garrafa HAHAHAH) é quando mais uma pessoa acredita nesse trabalho meio doido e sem eira nem beira que a gente vem fazendo desde 2013. E, lógico, eu vou logo me sentindo quase que como ganhando o Oscar :B HAHAHAHA 

MAAAAAAAS, dessa vez, quem foi responsável por encher meu coraçãozinho dessa alegria boa que é ser reconhecida por alguma coisa muito legal foi a escritora Clara Savelli, uma fofa linduxa que me aceitou no Hall de Parceiros 2017 *-*

PERA, TU NÃO CONHECE ELA? Ai... pega na minha mão e eu te ajudo:
Tem bio mais legal que essa, gente? Já rolou toda uma identificação, digo logo :B HAHAHAHA

A Clara é autora de livros como Mocassins e All Stars, Acampamento de Inverno para músicos (nem tão) Talentosos, Tiete! e Chinelo e Salto Alto. Se quero devorar todos o mais breve possível? MAZÉCLARO, MEU BRASÉL! Hellz em sua versão maquininha de leitura frenética está totalmente a postos! *-*

E AÍ, FICOU A FIM DE LER ALGUM DESSES TÍTULOS DA CLARA?







postado por Hellz. em 12 janeiro 2017

"Morando Sozinha" da Fran Guarnieri: Utilidade pública mesmo que você more acompanhada

Desde talvez os meus 12 anos, ainda seguindo o padrão de metas que eu NUNCA cumpro, eu sonho em morar sozinha: Ter meus quinhentos gatos sem ninguém encher o saco, poder trazer namoradinhxs em casa sem olhares tortos, comer brigadeiro no almoço e, sei lá, dançar pelada no meio da cozinha se me der vontade HAHAHAH. Hoje, com meus 17 anos completos por algumas vezes, o status não mudou: Ainda moro com a senhora minha mãe e, felizmente, ela é mais tolerante ao meu jeitinho peculiar do que eu imaginava que seria a esta altura da vida :B HAHAHAHAH 

NA VERDADE, o destino me trollou quando a oportunidade foi dada: Tudo indicava que este ano enfim eu ia retirar uma meta não-cumprida da lista imensa e ia ter meu local de festinhas particulares sendo rainha da vodka. Mas né, como ces sabem... minha vida anda zicada e ainda não foi dessa vez. Oremos pelos próximos capítulos... HAHAHAH

NO MAIS...foi pensando que eu ENFIM ia morar sozinha que solicitei esse livro. Ele chegou e, lógico, ainda tô morando acompanhada. Achei que não teria sentido lê-lo, achei que tinha perdido a oportunidade de solicitar outra coisa que fosse mais útil no momento, mas... MAIS UMA VEZ EU FUI INSPIRADA, BRASÉL. E vemk que vou contar mais sobre :B

O livro da Fran Guarnieri, blogueira que criou o "Morando Sozinha", estendeu-se do online para as páginas impressas. Os relatos de uma menina de vinte e poucos anos que conseguiu notoriedade justamente ao compartilhar sobre a fase que resolveu ligar o modo dreamer na potência máxima e sair da casa dos pais aos 18 anos recém-completos. (Seria meu sonho? Seria. Mas eu sei que se tivesse realizado esse sonho, justo por eu não ter um pingo de maturidade, e ia dar muita merda. Ia sim HAHAHAHAH). Vendo como todo esse aprendizado a partir da tentativa e erro era importante, lá foi a Belas Letras lindona e transformou a experiência em livro, nhu <3 (Lógico que no blog tudo é bem mais extenso, mas a forma como as coisas foram condensadas em impresso torna tudo bem legal e didático meeeesmo. Vai por mim, migs. Se eu tirei lições, você também tira! HAHAH).

Dividindo tudo bonitinho em capítulos, a Fran passeia por todas as fases: Desde a decisão tomada, até a pesquisa árdua por um lugar decente e que caiba na $$$$$ituação, cuidados com o impulso de não sair comprando toda inutilidade doméstica da Polishop e, até, conselhos de como ser lindha com os vizinhos pra não se ferrar depois rola durante a leitura HAHAHAH Tudo soa como se uma miga que se ferrou bastantão até aprender os paranauê vindo te ajudar, sabe? Uma conversa informal sobre o caminho das pedras pra casa-própria sendo revelado ali, na mesa da cozinha junto com uma xícara de café. SÓ AMOR, só amor *-*

Mas o que me fez considerar utilidade pública este lindo o qual eu escrevo sobre pra vocês, foram as dicas de organização e financeiro. SIM, NÃO NEGO, sou um horror nessas áreas da vida. Depois de anos bagunçando tudo que vejo pela frente e torrando todo dinheiro que eu ganho como uma criança solta dentro da RiHappy com um cartão de crédito ilimitado, não está sendo fácil. Eis que a Fran conseguiu salvar uma alma consumista por coisas inúteis e bagunceira por três vidas inteiras através de tabelinhas super fáceis que eu, inclusive, estou adaptando pra mim mesma :B 

Já que tamo no ano novo, recomeços, restarts e tudo mais, resolvi dar uma ajudada maior a senhora minha mãe aqui em casa (muito embora habilidades domésticas tenham me faltado desde a confecção na fábrica, bjs ). Com o auxílio das tabelas de organização, posso fazer isso sem me cansar horrores e desistir na primeira semana - e ainda ter tempo pra livrinhos, bloguinho, miguinhos, reflexões e ser trouxa eventualmente. Temo tempo pra tudo, galere :B

Outra coisa que vou me ajeitar PORQUE DEUS É PAI é em relação a grana. Saber guardar mais do que gastar e, principalmente, tentar gastar muuuuuuito menos com comida (minha despesa maior e constante HAHAHH *gorda*). Essa é, inclusive, uma das dicas da Fran. Tenhamos fé, ok?

E, lógico, um minuto de silêncio seguido de muitas e muitas e muitas palmas: A FRAN É CATLOVER. Catlovers são sempre maravilhosos :B  HAHAHAH *modesta*

E AÍ: VOCÊ APRENDERIA MAIS SOBRE ORGANIZAÇÃO E INDEPENDÊNCIA COM A FRAN? Me contem TUDOOOOOON!