Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
postado por Hellz. em 18 janeiro 2017

Parceria do amor pra 2017: Escritora Clara Savelli

OLAR VOCÊ!

Se tem uma coisa ~além de comidinhas gostosas~ que deixa a Hellz SUPER SUPER SUPER feliz (e malemolente ao ponto de quase descer na boquinha da garrafa HAHAHAH) é quando mais uma pessoa acredita nesse trabalho meio doido e sem eira nem beira que a gente vem fazendo desde 2013. E, lógico, eu vou logo me sentindo quase que como ganhando o Oscar :B HAHAHAHA 

MAAAAAAAS, dessa vez, quem foi responsável por encher meu coraçãozinho dessa alegria boa que é ser reconhecida por alguma coisa muito legal foi a escritora Clara Savelli, uma fofa linduxa que me aceitou no Hall de Parceiros 2017 *-*

PERA, TU NÃO CONHECE ELA? Ai... pega na minha mão e eu te ajudo:
Tem bio mais legal que essa, gente? Já rolou toda uma identificação, digo logo :B HAHAHAHA

A Clara é autora de livros como Mocassins e All Stars, Acampamento de Inverno para músicos (nem tão) Talentosos, Tiete! e Chinelo e Salto Alto. Se quero devorar todos o mais breve possível? MAZÉCLARO, MEU BRASÉL! Hellz em sua versão maquininha de leitura frenética está totalmente a postos! *-*

E AÍ, FICOU A FIM DE LER ALGUM DESSES TÍTULOS DA CLARA?







postado por Hellz. em 12 janeiro 2017

"Morando Sozinha" da Fran Guarnieri: Utilidade pública mesmo que você more acompanhada

Desde talvez os meus 12 anos, ainda seguindo o padrão de metas que eu NUNCA cumpro, eu sonho em morar sozinha: Ter meus quinhentos gatos sem ninguém encher o saco, poder trazer namoradinhxs em casa sem olhares tortos, comer brigadeiro no almoço e, sei lá, dançar pelada no meio da cozinha se me der vontade HAHAHAH. Hoje, com meus 17 anos completos por algumas vezes, o status não mudou: Ainda moro com a senhora minha mãe e, felizmente, ela é mais tolerante ao meu jeitinho peculiar do que eu imaginava que seria a esta altura da vida :B HAHAHAHAH 

NA VERDADE, o destino me trollou quando a oportunidade foi dada: Tudo indicava que este ano enfim eu ia retirar uma meta não-cumprida da lista imensa e ia ter meu local de festinhas particulares sendo rainha da vodka. Mas né, como ces sabem... minha vida anda zicada e ainda não foi dessa vez. Oremos pelos próximos capítulos... HAHAHAH

NO MAIS...foi pensando que eu ENFIM ia morar sozinha que solicitei esse livro. Ele chegou e, lógico, ainda tô morando acompanhada. Achei que não teria sentido lê-lo, achei que tinha perdido a oportunidade de solicitar outra coisa que fosse mais útil no momento, mas... MAIS UMA VEZ EU FUI INSPIRADA, BRASÉL. E vemk que vou contar mais sobre :B

O livro da Fran Guarnieri, blogueira que criou o "Morando Sozinha", estendeu-se do online para as páginas impressas. Os relatos de uma menina de vinte e poucos anos que conseguiu notoriedade justamente ao compartilhar sobre a fase que resolveu ligar o modo dreamer na potência máxima e sair da casa dos pais aos 18 anos recém-completos. (Seria meu sonho? Seria. Mas eu sei que se tivesse realizado esse sonho, justo por eu não ter um pingo de maturidade, e ia dar muita merda. Ia sim HAHAHAHAH). Vendo como todo esse aprendizado a partir da tentativa e erro era importante, lá foi a Belas Letras lindona e transformou a experiência em livro, nhu <3 (Lógico que no blog tudo é bem mais extenso, mas a forma como as coisas foram condensadas em impresso torna tudo bem legal e didático meeeesmo. Vai por mim, migs. Se eu tirei lições, você também tira! HAHAH).

Dividindo tudo bonitinho em capítulos, a Fran passeia por todas as fases: Desde a decisão tomada, até a pesquisa árdua por um lugar decente e que caiba na $$$$$ituação, cuidados com o impulso de não sair comprando toda inutilidade doméstica da Polishop e, até, conselhos de como ser lindha com os vizinhos pra não se ferrar depois rola durante a leitura HAHAHAH Tudo soa como se uma miga que se ferrou bastantão até aprender os paranauê vindo te ajudar, sabe? Uma conversa informal sobre o caminho das pedras pra casa-própria sendo revelado ali, na mesa da cozinha junto com uma xícara de café. SÓ AMOR, só amor *-*

Mas o que me fez considerar utilidade pública este lindo o qual eu escrevo sobre pra vocês, foram as dicas de organização e financeiro. SIM, NÃO NEGO, sou um horror nessas áreas da vida. Depois de anos bagunçando tudo que vejo pela frente e torrando todo dinheiro que eu ganho como uma criança solta dentro da RiHappy com um cartão de crédito ilimitado, não está sendo fácil. Eis que a Fran conseguiu salvar uma alma consumista por coisas inúteis e bagunceira por três vidas inteiras através de tabelinhas super fáceis que eu, inclusive, estou adaptando pra mim mesma :B 

Já que tamo no ano novo, recomeços, restarts e tudo mais, resolvi dar uma ajudada maior a senhora minha mãe aqui em casa (muito embora habilidades domésticas tenham me faltado desde a confecção na fábrica, bjs ). Com o auxílio das tabelas de organização, posso fazer isso sem me cansar horrores e desistir na primeira semana - e ainda ter tempo pra livrinhos, bloguinho, miguinhos, reflexões e ser trouxa eventualmente. Temo tempo pra tudo, galere :B

Outra coisa que vou me ajeitar PORQUE DEUS É PAI é em relação a grana. Saber guardar mais do que gastar e, principalmente, tentar gastar muuuuuuito menos com comida (minha despesa maior e constante HAHAHH *gorda*). Essa é, inclusive, uma das dicas da Fran. Tenhamos fé, ok?

E, lógico, um minuto de silêncio seguido de muitas e muitas e muitas palmas: A FRAN É CATLOVER. Catlovers são sempre maravilhosos :B  HAHAHAH *modesta*

E AÍ: VOCÊ APRENDERIA MAIS SOBRE ORGANIZAÇÃO E INDEPENDÊNCIA COM A FRAN? Me contem TUDOOOOOON!














postado por Hellz. em 09 janeiro 2017

The saddest playlist on "hellztory"


Não necessariamente músicas que vão te fazer chorar as Cataratas do Niágara, mas eu posso te contar com detalhes sobre cada período em que uma dessas músicas foi repetida 345353 vezes no meu Windows Media Player...



Noah Cyrus - Make Me (Cry) (feat. Labrinth)
Lady GaGa - Million Reasons
Creed - My Sacrifice
Radiohead - Creep
Papa Roach - Scars
Miley Cyrus - I Get So Scared
Automatic Loveletter - Unhearted
The Veronicas - In Another Life
Aerosmith - Cryin'
Lana Del Rey - Pretty When You Cry
Muse - Unintended
Lady GaGa - Dope
The Killers - Romeo and Juliet
Shakira - Empire
Cachorro Grande - Sinceramente
Rachael Yamagata - Be Be Your Love
Tegan and Sara - I Was a Fool
Cássia Eller - Luz dos olhos
Whitney Houston - I Have Nothing

"You'll be the death of me/ Sage advice/ Loving you could make Jesus cry"


postado por Hellz. em 04 janeiro 2017

O dia em que me senti em um episódio de Unbreakable kimmy schimidt

ALERTAZINHO: Digo logo que, apesar de não estar contando coisas que REALMENTE vão comprometer seus conhecimentos prévios sobre assistir a série, há sim, de alguma forma, um pouquinho de spoiler bem de leve :B

Unbreakable Kimmy Schmidt é uma série de comédia idealizada e escrita pela Tina Fey (é, aquela de Mean Girls!) e um cara que não sei o nome agora (o que importa é o que interessa. Neste caso, a Tina Fey HAHAH Q). E, pro post ficar completão e matar azinimiga de inveja, bora fazer aquela sempre boa sinopse resumidona da Hellz:

Na série, Kimmy é uma mulher de 30 anos que passou metade da vida dentro de um buraco na terra (é, um buraco mesmo) junto de outras 3 mulheres (igualmente tapadas) que foram sequestradas e convencidas por um falso profeta de que o mundo tinha acabado e, enquanto tudo fora do buraco era destruição e horror, as menines e o charlatão eram os únicos sobreviventes da catástrofe. Quinze anos depois elas são soltas e tão mais perdidas que toupeiras no mundo modernoso (termo, inclusive, que as designa mundialmente na série :B).

Como todos sabem, a linds da Tina, além de muitas outras coisas fodas, também é atriz. E, na série que ela brinca de Deus e dá rumo à vida de todo mundo, ela faz dois personagens dentro das duas temporadas existentes até o momento em que esse post foi escrito. Uma dessas personagens é irrelevante pra este post (e usa uma peruca horrível, se me permitem comentar), mas a outra é de extrema necessidade ser compreendida pra que este devaneio faça algum sentido pra você, migs leitor (mas se também não tá a fim de entender o devaneio, tamo de boas e a amizade é a mesma, viu? HAHAHAH :B)

Estejam apresentados à Dra. Andrea!
Ao fim da segunda temporada, onde a vida não tá fácil e a crise chega pra todos, eis que a Kimmy decide virar motorista de Uber. Durante uma das viagens noturnas, ela conhece uma psiquiatra alcoólatra (muito loka, diga-se de passagem - o gif não me deixa mentir HAHAH), que cisma com ela e acaba fazendo a Kimmy de motorista todas as noites pós-cachaça – o que, no caso da personagem, significa TODAS AS NOITES mesmo. PARTY EVERYDAY. PA-PA-PA-PARTY EVERYDAY!. Embora não fique exatamente claro, a Dra. Andrea (não achei sobrenome no migo google, sorry) sofre de quase uma bipolaridade alcoólica: Durante o dia – e enquanto sóbria, ela é a pessoa mais carrancuda, profissional e reprimida do mundo, lidando com os pacientes e sendo a boa moça que todo mundo espera de uma médica. Após o expediente, migs, a gata enche a cara, baixa logo a pomba-gira e vira a criatura mais porra loka da face da Terra.  (Daquelas que sobe em cima da mesa, dá em cima de todo mundo, é inconveniente e causa vergonha alheia em qualquer um - até na tapada da Kimmy! HAHAHAH).

Bom... entendido isso, preciso dizer:

Eu me senti fazendo parte deste episódio de UKS essa semana. E, por mais difícil de acreditar, eu não era a Dra. Andrea vida loka rebolando até o chão (eu sei, difícil mesmo de não me ver neste lado da situação, mas... HAHAHAH). Neste episódio da vida real, eu fui a Kimmy lembrando de todas as merdas alheias no outro dia.

Tudo começou quando recebi uma ligação de uma criatura bêbada no meio da madrugada (uma ligação totalmente inesperada, vale ressaltar, já que o meu nível de intimidade com a pinguça totalizava o número ZERO). Conheci mais dela em algumas horas do que creio que muitos amigos conhecerão durante mil anos de amizade (imaginem o que quiserem após essa afirmação... HAHAH). Nesse papo muito loko, que lógico que segui dando corda porque sou dessas e vai que dá certo, ouvi umas promessas meio furadas, desejos futuros que envolviam a minha santa pessoa e tudo era, como já disse anteriormente, totalmente inesperado e improvável G_G. Seria o destino me dando um pirulito pra o ano já começar legalzão? HAHAHAHHA 

O nível de periculosidade do lance foi tão alto que já rolavam frases como "você vai ser meu segredinho colorido, ok? Só a gente precisa saber...". Tá, né. Ok. G-G Fui dormir com um sorrisão acreditando que o destino tinha lá ouvido as minhas preces (não de querer um mozão, mas ter uma uma diversãozinha descompromissada pra melhorar a qualidade da pele, sabe como dizem, e animar a vida..HAHAH). Até que o dia amanheceu... E vocês tão tudo ligado que tudo na minha vida é bugado, né? POIS ENTÃO.

E, com o dia amanhecido, o tempo do soninho passado e o contato firmado pós-situação, eu descobri que a pessoa em questão nada mais era do que uma versão real e super troll da Dra. Andrea. SIM, MIGS, super paguei de loka porque a ~pessoa~ não lembrava de uma vírgula dos acontecimentos fervorosos da noite anterior. Não bastante, ainda foi grossa como o coice de uma mula ao deixar claro que eu apagasse da memória, do inbox e de onde mais eu quisesse o ocorrido - porque ela bêbada já tinha dado conta de apagar a minha ligação e as mensagens trocadas e nem tava a fim de relembrar, de saber o que houve, de fingir se envergonhar um pouquinho e, quem sabe, de darmos umas risadas da situação pra firmar aquela amizade bonita, sabe como é?. "Se eu apaguei, é porque eu queria na hora e hoje não quero mais, então quero nem saber também". TÁ SEEEEEEEEEEEEERTA! 

Rolou decepçãozinha, viu? HAHAHAH Não por ter perdido um contatinho em potencial (que é triste, mas não tanto). Rolou foi aquele balde de água geladíssima em cima do crush de amizade que eu tinha na bonita antes de estabelecer real contato. Como minha certidão de nascimento afirma que eu não nasci ontem (nasci já faz um tempo, ó), meio que improvável de engolir que houve esse blackout de memória tããããão conveniente. Me diz aí: Se algum migo te fala que ce fez merda na balada e não lembra, que que contece? TU QUER SABER, LÓGICO QUE CLARO. Nem que seja pra ter vontade de enfiar a cabeça num buraco, planejar a sua casa em Marte e providenciar a abdução da Terra, mas tu quer saber, ué (aliás, arrisco dizer que até se o vexame nem for com você, tu vai querer saber também, então... HAHAHAH).

Ainda mais pelo lado de cá da situação se tratar de uma pessoa tão nonsense e deboísta, a linda perdeu foi a oportunidade de sair da situação com finess e humor e ainda firmar uma brotheragi com a Hellz aqui (uns beijos ocasionais, quem sabe... ok, parei), e até uma história pra contar nas férias da praia pra galera reunida morrer de rir. Perdeu oportunidade de alguma coisa, é fato, inclusive a oportunidade maravilhosa de ficar calada e não falar merda, é. HAHAHAHAH

A conclusão é: Pelo menos a Dra. Andrea assume a dupla personalidade, quer saber o que houve no dia seguinte, continua sua miga e ainda tenta se envergonhar, levando com mais leveza os resquícios da noite anterior HAHAHAHAHAH. Você ganhou essa, Kimmy!



postado por Hellz. em 01 janeiro 2017

Metas 2006 não-cumpridas que perduram até hoje


Chega a vibe de ano novo e a Hellz aqui se põe a pensar sobre qual desgraça alheia podia ser compartilhada dessa vez HAHAHAH E né que até com esse tema eu encontrei coisa, menine? :B

BEM: Eu escrevo em diários desde 2006 (e permaneço até hoje, caso esteja se perguntando hehe). É, aquela coisa bem teen onde se compartilha a vida escrevendo e enfim. Desde que tornei esse lance um hábito, sempre rolou durante o fim do ano a tal listinha de metas pro ano X que vem a seguir e tudo mais. Parando pra observar estas cápsulas do tempo que servem de testemunhas e provas vivas da minha vida (e da minha total falta de maturidade), eu percebi algo bastante peculiar: Desde que eu tinha 14 anos as minhas metas são basicamente as mesmas. É, exatamente. Desde os 14 anos quero as mesmas coisas, o que contabiliza 10 anos de coisas não-realizadas :B Seria procrastinação, azar, falta de oportunidade? Não faço a mínima ideia e sacudo a bola aí pra qualquer especialista da área de psicologia, astrólogos, cartomantes e, quem sabe, a estudantes da Nasa se tiver a fim de solucionar o caso HAHAHHA.


1 – APRENDER A DIRIGIR
Desde que eu tenho 12 anos de idade, escuto minha mãe dizer que é muito importante me ensinar a dirigir para que, em situações de emergência, eu pudesse pagar de Menina Superpoderosa e salvar o dia. Eu me encontro sentada na mesma cadeira empoeirada há mais 12 anos desde que essa promessa foi feita e, sim, eu não sei dirigir até o fechamentodeste post Q. Essa é a meta mais badalada em todas as minhas listas de metas desde então, mas se até a GaGa só tirou a carteira de motorista aos 30 anos, quem sou eu pra quebrar as quebras, né non? :B


2 - EMAGRECER

Tudo bem que esse ano meus planos não deram certo por vontades alheias às minhas (sim, desde que o satanista poeta aka TEMER assumiu os paranauê do Brasil, as verbas de saúde foram pra qualquer lugar menos pra saúde e cá tô eu gorda e sem minha cirurgia bariátrica. Oremos pra exorcizar esse capeta de uma vez u.u), mas desde os 14 (ou mesmo antes), esta é outra meta que está no trending topics das metas da Hellz. Desde lá eu já tentei parar de comer, tomar remedinho pra emagrecer, fazer tratamentos médicos duvidosos, academia, nutricionista, rezei com muito fervor, tentei psicologia reversa com o universo e nada adiantou. Então, em mais uma cadeira cativa, tá o meu emagrecimento também na lista de 2017.


3- JUNTAR GRANA PRA FAZER ALGO GRANDE
Embora esse “algo grande” já tenha sido mutável durante vários anos (intercâmbio, sonhos de consumo e plásticas com o Dr. Rey Q), eu nunca consegui juntar mais de 200 reais no meu cofrinho (dinheiro este que sempre foi destinado a alguma farra gastronômica, que tem o objetivo de ME tornar grande e não de me fazer poder comprar algo grande HAHAH).


4 – COSTURAR UMA BOLSA
Durante a infância eu cumpri esta tarefa enquanto ela ainda não era uma meta. Mas depois que entrou na listinha de coisas a fazer durante tal ano, simplesmente a maldição caiu sobre a atividade e até hoje eu ainda sigo no sonho de que essa produção dê certo e eu me torne logo uma design de bolsas badaladíssima Q. Já que o espírito DIY tá baixando, vamo ter fé, né...


5 - TER UM RELACIONAMENTO DURADOURO 
Pois é. Se vocês bem leram o post em que falo sobre a maldição dos 45 dias (ler post AQUI),devem bem saber que eu não consigo NUNCA cumprir essa meta de ter um relacionamento especial – e dessa vez a culpa não é minha, juro ._. Caso você tenha uma miga que deseje cumprir o meu sonho de ter um mozão, passa aí o contato e diz logo que sou super legal! HAHAHAH


NO MAIS, FELIZ 2017, SEUS BANDO DE COISA LINDA!



postado por Hellz. em 27 dezembro 2016

DIY para desastrados: Quadro legalzão da Marilyn Monroe

OLAAAAAAAR :B

Como vocês bem puderam perceber no post que rolou aqui sobre o livro LINDS da Karina Milanesi cheio de DIY, desde o recebimento deste livro do amor eu tenho me sentido deveras inspirada :B. E, se vocês também andam com a memória em dia, devem ter aí na cachola que eu meio que comentei sobre uma reforma super estratégica no mês de dezembro aqui no meu habitat natural - lê-se: quarto - devido à visita super inconviniente de parentes distantes, certo? POIS É! HAHAHAHAH

As atualizações são as seguintes: A reforma de decor tá rolando SIIIIM e isso tem rendido, além da minha paz de espírito por permanecer na minha cama fofinha e não precisar cedê-la à visitas, uma categoria NOVA, YEY! Declaramos oficial o "DIY para desastrados", *corta a fitinha vermelha*, peças feitas inteiramente por você mesmo em que, se a Hellz - que é a criatura menos jeitosa da Via Láctea - conseguiu fazer, até um chimpanzé consegue! Então confio no seu talento, hein? HAHAHAH Bora lá! :B

VOCÊ VAI PRECISAR DE:
- Uma foto impressa da Marilyn Monroe tipo essa aqui:
(Procurei a foto como "marilyn monroe stencil". Só jogar no google o nome do seu personagem seguido de "stencil" e você vai conseguir um modelo vazado desses, oks? :B).
- Tesoura;
- Fita crepe;
- Tela pra pintura;
- Tinta preta e vermelha (ou da cor que você quiser, afinal, o DIY é seu);
- Pincel;
- Paciência, dedinhos fortes e precisão.

COMOFAS ESSE LINDO?

1- Com a tesoura e os seus dedinhos corajosos, comece a cortar toda a parte verde da imagem. Lembre-se: Você pode ferrar a parte verde, mas não a branca. Se você não se condicionar a deixar a parte branca meio que o mais direitinho possível, seu desenho vai sair mei zoado no fim das contas :B Mas vamo lá, se eu consegui, cê consegue! HAHAHA 

2- Prestando atençãozinha especial nos detalhes, só pare de recortar quando o lance tiver mais ou menos do jeito da foto aí acima: Tudo vazado! Caso tenha precisado cortar partes que não deveria pra poder alcançar locais tensos do desenho, só dar uma ajeitadinha com fita e tá ótemo!

3- Dá uma virada no papel, migs, e pode começar a tacar rolinhos de fita crepe em toda a extensão do desenho - principalmente nos locais de detalhes pequenininhos em que a folha ficou meio sem estrutura, saca? Depois só colar a folha, ajustada do jeito que tu quiser, na tela, prender com mais fita nas bordas do lado de fora e vamo seguir o passeio...

4- Pode começar a passar tinta preta pra preencher todos os espaços vazados, tá?

5 - Como eu sou super a favor do batom vermelho em todas as horas da manhã, da tarde, da noite e da madrugada, deixei a boca pra pintar de vermelho, porque claro. Depois só descolar todas as 2034343943 fitas que você colou e ver o resultado...

TCHARAAAAAAAAAAAAAM!
P.S.: Como vocês podem perceber, houveram alguns problemas técnicos em relação ao molde original e o resultado do meu desenho. Eu sou azarada, é um fato, mas nem tudo está perdido: Minha miga artista deu uma olhada na minha bagunça e disse que tudo poderia ter sido resolvido se eu tivesse trocado o pincel por uma esponjinha na hora de aplicar a tinta, olha só. Fui na felicidade de ser um Picasso e coloquei tinta demais no negócio, fazendo a Marilyn ter uma boca meio Lana Del Rey e um olho gordénho demais pra condizer com a realidade. Mas a gente finge que não deu nada errado e diz que é uma versão conceitual, oks? HAHAHAHAH 

VAMO TODO MUNDO BOTAR AS MAOZINEAS PRA TRABALHAR E ME MOSTREM AS SUAS VERSÕES DESSE DIY, HEIN?








postado por Hellz. em 23 dezembro 2016

Mais da família pop-rock do amor: Natal, férias e outras histórias


Apesar de esse mês ter sido o que menos li no ano inteiro (caí de 10 livros por mês pra apenas 5 em dezembro ._., migs), eu me senti extremamente coagida pela Belas Letras  a furar toda a ordem sequencial da filinha de espera de leitura e colocar o "Natal, férias e outras histórias" como atendimento prioritário. Mas calma, eu tenho meus motivos pra ter feito essa mutreta toda u.u HAHAHAH

Caso vocês estejam sempre por aqui dando uma voltinha e observando os devaneios constantes desta que vos escreve, vocês devem lembrar de duas resenhas de livros em especial: a do Papai é Pop 2 e A Mamãe é Rock, ambos advindos da família gaúcha mais cool desse Brasél, aquela formada pelos heróis da vida real Marcos Piangers e Ana Cardoso (sim, ainda tenho interesse na adoção, viu? AHAHA :B). Pra quem tá perdido, deixa eu explicar rapidinho: Como disse em um desses posts de resenha, eles são os pais daquela menininha que foi no programa da Fátima Bernardes e problematizou a questão de rosa pra menina e azul pra menino, OU SEJA, se ela foi criada por esses seres e espalha essas ideias tão lindas, como não amar, me diz? *0* ENTÃO... ter a graciosa oportunidade de ler mais um livro vindo da família pop-rock, mais precisamente da Ana Cardoso, é muito especial <3

E o outro motivo que me fez furar a fila e deixar os livros mais antigos da gaveta bem revolts, foi o fato de eu AMAAAAAAAAAAAAR essa época Jingle Bells da vida *-* (se eu pudesse, viveria numa eterna propaganda da coca-cola de natal, sério. HAHAHAH SOCORRO, PEGA A LOKA!). ENFIM... quando um livro consegue reunir o combo de ser de um autor amorzinho + temático de natal, já era. Já era, eu vou devorá-lo MESMO! (não é a toa que terminei esse lindo em menos de uma hora, beijos).

Como o próprio título já sugere, o novo livro da Ana Cardoso é repleto de crônicas e relatos pessoais acerca de natais passados, presentes e futuros, tudo bem recheado de uma vibe familiar que me deixou, particularmente, muito otimista. Por mais razinza que a Hellz aqui pareça, meu sonho era ter tido uma família grande e barulhenta, e que o tamanho fosse equivalente ao amor. Ao entrar nesse universo Cardoso-Piangers, por algum motivo, eu me sinto incluída na família deles, que é exatamente tudo que eu gostaria de ter tido um dia. Eis um motivo do coração pra eu adorar tanto receber/ler/ganhar/comprar os escritos dessas pessoas que aprendi admirar ao longe, nhu <3

E tão achando que é só isso, heeeeeeein? CLARO QUE NÃO! Pra deixar essa experiência o mais natalina possível, a gente ainda encontra receitas típicas de festas de fim de ano pra fazer na ceia de natal aí na sua casa e não contar a sua fonte. Você pode pagar de Masterchef e enrolar todo mundo, olha só :B HAHAHAHH

Caso você ache que a emoção tá pouca, se liga: A Ana conseguiu até trazer uma entrevista superhipermega exclusiva com o PAPAI NOEEEEEEL, minha gemt (não vou contar mais sobre isso porque seria spoiler u.u HAHAH).

Esse livro amoroso ainda conta, além da participação do Tio Noel, com as participações igualmente ilustres do Piangers e da Anita (menininha que foi no Encontro da Fátima Bernardes, a filha deles!). Cada texto mais linds que o outro, com ilustrações fofíssimas e diagramação criativa como tudo que essa editora querida faz (Acho que passei a entender o nome "Belas Letras": Cada livro é uma obra-prima de seu nicho, sério. Conteúdo e arte sempre juntinhoxxx).

RESUMINDO: Mesmo que você não seja dessas que seria a própria árvore de natal se pudesse durante o mês de dezembro (tipo eu, hehe :B HHAHAHAH), a Hellz te garante que esse livro (e todos os outros que tenham os dedinhos dessa família) pode ser capaz de te trazer uma grande dose de luz durante qualquer época do ano *-*

E, já que o dia permite e pede:
LET'S ALL DREAM WITH A WHITE CHRISTMAS.
Feliz natal, meuzamô <3 
(dizem que só se deseja feliz natal no dia 25, mas o feliz natal é meu e eu dou ele quando eu quiser. Lidem com isso u.u HAHAHAH)