Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
postado por Hellz. em 21 agosto 2013

Vício em escalas de cinza




Há cerca de um ano atrás foi a primeira vez que comecei a me tocar que uma nova onda estava se formando.


Não sei como foi que se deu a iniciação da informação em mim (e, na verdade, a gente sabe?) ou sobre quando comecei a ver ou ouvi falar daquele assunto. Só do que sei é que começaram a surgir tiros de todos os lados, numa enxurrada de publicidade frenética e incapaz de rota de fuga. Propaganda tanto direta quanto indireta: aquela menina postando foto lá no instagram, o livro (com uma capa muito bem trabalhada por sinal) nas prateleiras de diversas lojas populares, sites de cultura pop que especulavam “Quem será o Christian Grey quando a história se transformar em película?”, vendedores de livrarias elogiando a sinopse, colegas da faculdade que diziam estar viciados e  P R E C I S A V A M  ler a segunda edição ou o mundo iria acabar... e enfim, essas coisas.

Cinquenta tons de cinza. Definido como romance. Mas a palavra “romance” sozinha parecia não servir pra o livro.  Sempre era necessário um adjetivo vir agregado: adulto, erótico, pesado, não convencional, diferente, viciante, sadomasoquista, bom... e por aí vai.

Tudo isso descrito sobre apenas um livro assusta, principalmente à nossa sociedade (querendo ou não é a triste verdade, desculpem), e eu ficava meio que na defensiva... ler ou não ler? Será que merece esse buzz todo? (e não era nem por questões de preconceito minhas, mas por pensar se meu dinheiro valeria a pena HAHA).
Porque essa gravata na capa? E sobre as  algemas? E a máscara? Tudo era muito óbvio, mas eu, sabe-se lá porque, não conseguia unir as peças e chegar a final conclusão que tava na cara (há a possibilidade de ser o fato de eu ser loira, mas entendam como quiserem).
 
Bom, vamos pular pra parte em que me rendi:  Num belo dia, eu em uma loja qualquer de departamentos (um dos meus lugares preferidos no mundo. Consumista, oooi!) deparei-me novamente com aquele livro preto que tanto instigava curiosidade. “Ok, vamos ver porque você é tão famoso, Sr. Grey”, pensei. Comprei. Comecei a ler. E quando dei por mim, eu mesma estava surfando também na onda...
Pra mim, sempre há a possibilidade da E. L. James ter feito uma macumbinha pra algum orixá e estourar o livro. Mas acho, que na verdade, seja apenas o caso de ela ser uma baita canalha super inteligente que conhece mais a nossa raça do que nós mesmas. É, nós, as mulheres!  

Utilizando-se de autoconhecimento (que tá faltando no mundo, hein) e talvez até sonhos pessoais, aquela tirana da James concluiu a criação de um homem perfeito: misterioso. Dominador porém carinhoso. Com atitude mas ao mesmo tempo abre mão das coisas pela mulher amada. Um cafajeste fiel (só em livro mesmo), requintado e com educação digna de príncipes. Experiente sem ser arrogante. Traumatizado com a vida e as pessoas mas sempre abre aqueeeela exceçãozinha só pra você. E ah, dois meros detalhes : Lindo e podre de rico. O tipo de homem tão apaixonante que mesmo se ele traficasse drogas pra marte ou fosse um assassino confesso  você aceitaria tudo lindamente e acharia até muito romântico.

Mulheres tendem a ser idiotas mesmo. E eu, até eu, me inclui no grupo. Também me apaixonei por um personagem literário, o tal do Christian Grey. Mas no fim das contas, quem nunca desejou um amor tão arrebatador que te tirasse da realidade e transformasse seu mundo em novela, com doses gigantes e diárias de felicidade e glamour? Atire a primeira pedra caso não.  (Eu, particularmente, tenho problemas com amores platônicos. Mas isto fica para um outro capítulo).

Li todos a trilogia freneticamente (e incrivelmente rápido, por sinal). Sofri quando acabou e hoje me sinto uma órfã do Sr. Grey. Não me arrependi do dinheiro gasto e compreendi todo o zumzumzum sobre a obra, que faz jus, na minha opinião. Macumba, capitalismo, sorte ou inteligência quem sejam... só tenho a dizer:


 E. L. James, faz um quarto livro?






6 comentários:

  1. Conversando com minha cunhada ela disse q esse estilo sempre existiu... se vc sente orfã do mr grey? Tenta outro livro a casa do budas ditosos é bom!

    Fraga o resumo aqui:

    http://nadademais1.blogspot.com.br/2012/11/resumindo-50-tons-de-cinza.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o meu primeiro do gênero, mas gostei e vou atrás de mais livros parecidos! Obrigada pela dica. Indicações de leitura são sempre bem vindas *-*

      Excluir
  2. Ola Hellz, vim aqui te agradecer a visita e comentário lá no meu blog, muito obrigado...já dei uma lida por aqui e gostei muito do que vi, uma escrita solta, engraçada, referências que me identifiquei, por exemplo, achei muito engraçado a citação do pó pirlimpimpim, a Hermione, no outro post. Bem gostoso ler. Quanto as cinzas, digo, 50 tons, não li e não tenho lá boas referências, mas enfim, devemos ler, isso é que é importante, e lendo a primeira parte do post dá para ver o que acontece comigo também, e muitas pessoas, que é: vou ou não vou, todos temos isso. Outra coisa que me fascina nas pessoas é a paixão pela leitura, por um livro, por um autor, e isso vejo aqui, e adorei. Muito prazer em te conhecer amiga Hellz...no meu caso, ser eu não é muito fácil rs...
    ps. Meu carinho meu respeito meu abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jair!
      Agradeço a consideração que você teve retribuindo à minha visita. Muito legal de sua parte :)
      Valeu mesmo por todos os elogios. Não sou uma expert. Sou marinheira de primeira viagem se tratando de blog, mas tamo aí pra ver no que dá HAHA. O importante é a interação, o respeito, a opinião e o compartilhamento de ideias, isso engrandece a gente, né?
      Espero que volte mais vezes e me diga também como é ser você. Como ser Hellz eu vou mostrando aos poucos :D
      Beijos :*
      Hellz

      Excluir
  3. Li a saga inteira rs pq minhas amigas do trabalho só comentavam sobre isso, mas elas têm a sua idade rs. Não achei tudo aquilo que falaram, mas como um romancezinho água com açúcar, agradou.

    KIsu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho um tremendo defeito de ser arrebatada por coisas comerciais, confesso haha. O que me agradou não foi nem as questões de sexo, mas sim o romance bestão mesmo. No fundo, sou uma bobona ):
      Beijo
      Hellz.

      Excluir

Aqui é a área do BEING YOU e você tá com a palavra, hein? BORA!