Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
postado por Hellz. em 02 setembro 2013

De 2008 à ... (sem prazos de validade).





Ontem, primeiro de setembro, aconteceu o Itunes Festival 2013, em Londres. A abertura dos shows, que terão 30 dias, foi feita pela (longe de meios termos: amada ou odiada) Lady GaGa.


Quanto a mim?

Fico ao lado dos Little Monsters. Aliás, faço parte! (Julguem-me como quiser, bjs. Não pretendo esconder quem eu sou, o que gosto e o que admiro porque a sociedade julga modinha, massificação ou de baixa qualidade. Libertem-se do preconceito, por favor! Sejam mais prafrentex. Estamos em 2013 e você aí com essa na cabeça? Pelamor...).

Domingo. Um dos meus dias de folga. Uma hora antes do início do Festival, fiquei vidrada no cronômetro do Itunes que mostrava que sentir o primeiro gosto de ARTPOP estava próximo, muito próximo. (Confesso que o VMA me foi meio confuso. Tratando-se de Stefani Germanotta, eu esperava algo muito MUITO maior. Mas como dizem: ela faz sempre exatamente o contrário do esperado. E assim aconteceu).

Foram disponibilizadas as primeiras imagens do Itunes Festival próximo às 17hs, horário marcado originalmente: Público, estrutura do teto do RoundHouse, palco, telões sem imagens, nada ainda. Aguardei. Aguardei cerca de meia hora (e após a qualidade do show, percebi que seria capaz de esperar muito mais por tamanho espetáculo!).

Quando tudo começou pra valer, coloquei meus fones de ouvido e fiquei off pra minha realidade chata daqui. Fiz a viagem mais longa e mais rápida em questão de segundos: Me transportei pra Londres no mesmo instante que Aura começou os primeiros acordes de violão (ou é banjo? Não sei. Desculpem, não tenho lá uma formação profissional em questão de instrumentos musicais HAHA) e me senti no meio da plateia, me senti um dos espectadores excitados, me senti parte daquela grandiosa festa. 

Telefone tocou, mãe falou comigo, Frida (minha gata) tentou encher o saco, WhatsApp rolando: nada foi eficiente. Eu estava realmente mais longe do que os fatores geográficos poderiam acreditar ser possíveis. 

Aura (que vazou dias antes na internet como Burqa), MANiCURE (minha preferida até agora), ARTPOP (alguém além de mim sentiu a transcendência?), Jewels & Drugs (Inesperado. Parcerias inesperadas. Batida inesperada. Mas tudo MUITO LEGAL!), Sex Dreams (dancefloor oitentista, muito glamour. Dedico ao Freddie, HAHA), Swine (que, além de me identificar bastante, também amei a batida e a voz rasgada! Mal posso esperar pra escutar a versão estúdio!), I Wanna Be With You (senti que foi pra mim, ok?) e Applause (com um figurino muito mais legal que o VMA!). 

Tudo foi lindo! Eu, bobona, chorei do início ao fim (e não, eu não estou na TPM).  Eu consegui sentir tudo que estava sendo passado. Consegui sentir a força, a vontade, a grandeza da superação e o orgulho que ela sentia em ver que tinha feito um bom trabalho. E fez mesmo. Tava mais do que certa em se sentir assim!


Minhas conclusões?


Me sinto extremamente honrada de ter acompanhado essa bitch psicodélica (apelido interno que tenho com um amigo) desde 2008. De ver a evolução das perucas, da criação, dos figurinos, da postura, da confiança e personalidade. Tanta fofura pra uma pessoa tão baixinha! HAHA. E, além de extremo talento e o fato de ser uma completa artista performática que canta, dança, cria conceitos, compõe e serve de exemplo de humanidade pra todos os freaks, ela é uma das pessoas públicas que eu conheço que mais valoriza, respeita e enaltece os fãs. Podem me dizer à vontade que isso é golpe de marketing, personagem ou o que mais quiserem achar. Eu acredito na sinceridade dela e isso me importa! Haters gonna hate.

Fiquei mais orgulhosa ainda quando ela se despiu de toda caracterização. Usou seu cabelo natural e assumiu a verdadeira Stefani por trás da GaGa, relatando dificuldades que tinha. De que usava toda a parafernália pra esconder a dor.

Tanto GaGa quanto Stefani, são extremamente fáceis de amar (na verdade não creio que elas sejam pessoas diferentes. São complementares, são uma pessoa só). Ela consegue transformar um abajur que seja em artigo performático! Embora seus shows sejam caracterizados por grandiosidade, ela, na verdade, não precisa lá de muito. Só da voz, de um teclado e ao menos uma pessoa que queira ouvir o que ela tem a dizer.

Estou ansiosíssima por ARTPOP completíssimo e só pra mim.


Put your paws up!


Mais informações sobre o evento e/ou artista: Lady Gaga Br ou Itunes Festival


10 comentários:

  1. Apesar de ser rockeira,também sou Little Monster *--* eu adoro a Mother e a cada dia que passa fico mais ansiosa pelo álbum,ela está revolucionando a música pop! :3
    Obrigada pela visita no blog,espero que apareça por lá mais vezes!♥
    Boa tarde!
    quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. juro que não entendi nem metade do post. a massificação da cultura pop não chegou aqui!

    ResponderExcluir
  3. Não é bemmmmmmmmmmm a minha praia, mas reconheça o papel da Gaga no cenário da cultura pop! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Admiro isso, Fred. Respeito entre gostos pessoais :)

      Excluir
  4. Acho a lady gaga ta se tornando escrava do personagem q ela criou... que sempre ter que ter uma coisa diferente, chocante... Deve ser massante.

    ResponderExcluir
  5. Quem não ama a Gaga? Ela é original, meio louca, mas não se importa com a crítica que a persegue!
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Ela tem um talento incrível. Admiro muito a voz dela, fora que tudo que ela faz é bem teatral e dramático. ADORO!

    xx,
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi querida Hellz, sou um fascinado pelo mundo pop, costumo dizer que sou eclético, aliás costumava, pois um 'amigo' disse que ser eclético é gostar de tudo e não saber (sic), enfim...independente do que esse amigo diga, ou qualquer outra pessoa, tenho uma profunda admiração pela Gaga, adoro artista performático, e isso ela é super...mas gosto muito mais de tua coragem, eu levei bastante tempo para assumir que amava o Kid Abelha rs, pois meus amigos 'roqueiros e mpbistas' os desclassificavam, então me calava, até assistir a um espetáculo com eles, daí minha paixão pela Paula Toller se tornou pública e sem vergonha. È isso aí Hellz, adorei este post. Guria é muito bom te ler.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  8. EU tô perdida, nem sabia que tinha esse evento por aqui auhauaha

    Kisu!

    ResponderExcluir

Aqui é a área do BEING YOU e você tá com a palavra, hein? BORA!